Jack – O Caçador de Gigantes estreia em 1º lugar, mas abaixo das expectativas nos EUA

Jack the giant slayer new poster 1 400x591 Jack   O Caçador de Gigantes estreia em 1º lugar, mas abaixo das expectativas nos EUA

“Jack – O Caçador de Gigantes” estreou em 1º lugar nas bilheterias americanas, mas com números minguados, apenas US$ 28 milhões de arrecadação durante seu primeiro fim de semana nos EUA. O resultado é preocupante para a Warner Bros., já que o lançamento custou cerca de US$ 200 milhões para ser produzido e mais US$ 100 milhões em divulgação. Uma conta que agora precisará ser paga pelo público internacional, pois o mercado doméstico renderá grande prejuízo.

No ano passado, filmes em 3D obtiveram mais sucesso no exterior que nos EUA, o que é uma boa notícia, diante das circunstâncias, para a Warner. O lançamento na Ásia dá esperanças, pois o filme fez US$ 13,7 milhões em sete países, puxado pelos US$ 4,9 milhões da Coréia do Sul. Entretanto, “John Carter” abriu com uma bilheteria superior, US$ 30 milhões nos EUA, e mesmo assim se tornou o maior desastre financeiro do cinema no ano passado – mesmo com a arrecadação internacional, ainda deu US$ 200 milhões de prejuízo para a Disney. No mesmo nível catastrófico, “Battleship – Batalha dos Mares” estreou com US$ 25 milhões e gerou uma grande reformulação de planejamentos na Universal, deixando a companhia debilitada financeiramente.

Considerado o primeiro grande lançamento de 2013, a baixa bilheteria de “Jack” aponta um cansaço do público com aventuras baseadas em fábulas encantadas, já verificado este ano com “João e Maria – Caçadores de Bruxas”, que fez em todo o mundo menos do que custou para a Warner filmar sua versão de “João e o Pé de Feijão”.

Curiosamente, “Jack” não foi um desastre de crítica, que se dividiu igualmente entre elogios ao elenco e ao ritmo da ação e lamentações a respeito dos efeitos extenuantes. O público pagante, por sua vez, aprovou o que viu, dando nota B- no CinemaScore, que registra a opinão dos espectadores. A avaliação foi ainda melhor entre os menores de idade, que lhe deram uma elogiosa nota A.

O grande teste para os contos de fadas pós-modernos acontecerá na semana que vem, com a estreia de “Oz, Mágico e Poderoso”, igualmente custoso e cheio de efeitos especiais, e que deve desferir um golpe fatal na esperança de “Jack” conseguir mais público pelo boca-a-boca positivo nos próximos dias.

Além de “Jack – O Caçador de Gigantes” foram lançados mais três filmes nos EUA neste fim de semana. O thriller independente “Phantom” ganhou uma distinção histórica, ao fazer somente US$ 475 milhões e se tornar a pior estreia de todos os tempos com um lançamento em mais de mil salas de cinema no país. A comédia “Finalmente 18″ fez US$ 9 milhões e conquistou o 3º lugar. Como custou só
US$ 13 milhões, seu desempenho ficou dentro das expectativas de seu estúdio. Por fim, o terror “O Último Exorcismo – Parte 2″ faturou US$ 8 milhões e se posicionou em 4º lugar, bem abaixo do faturamento do filme original, que fez US$ 20,4 milhões em agosto de 2010.

A comédia “Uma Ladra sem Limites”, com Melissa McCarthy, ficou em 2º lugar e o thriller “O Acordo”, com Dwayne Johnson, fecha o Top 5, caindo três posições de sua estreia em 2º na semana passada.

.

Top 10 das bilheterias americanas

1. Jack – O Caçador de Gigantes, US$ 28 milhões
2. Uma Ladra sem Limites, US$ 9,7 milhões – total: US$ 107,4 milhões
3. Finalmente 18, US$ 9 milhões
4. O Último Exorcismo – Parte II, US$ 8 milhões
5. O Acordo, US$ 7,7 million – total: US$ 24,4 milhões
6. Fuga do Planeta Terra, US$ $6,7 milhões – total: US$ 43,2 milhões
7. Um Porto Seguro, US$ 6,3 milhões – total: US$ 57,1 milhões
8. O Lado Bom da Vida, US$ 5,9 milhões – total: US$ 115,5 milhões
9. Duro de Matar: Um Bom dia para Morrer, US$ 4,5 milhões – total: US$ 59,6 milhões
10. Dark Skies, US$ 3,6 milhões – total: US$ $13,5 milhões

+ Marcel Plasse

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é o editor do site Pipoca Moderna

Deixe um comentário

Add your comment below, or trackback from your own site. You can also subscribe to these comments via RSS.

Seu email nunca aparece.